Seguidores

sábado, 4 de novembro de 2017

WAEL DAOU - SAND CRUSADER (CD DUPLO + DVD) (2017)



                       E o mestre das oito cordas, WAEL DAOU, lança seu primeiro full lenght! E desde já, é preciso que fique claro: SAND CRUSADER estará em todas as listas de melhores do ano. Seja nos portais, sejam nos sites, blogs e revistas especializadas. E sabem porque? Porque é um trabalho fantástico! Um álbum maduro, coeso, de qualidade muito, mas muito acima da média. Se em seu EP de estréia (Ancient Conquerors, 2013, cuja resenha feita por este que vos escreve pode ser lida aqui:http://www.agenciayaih.com.br/resenha-wael-daou-ancient-conquerors/), Wael já se mostrava um guitarrista do mais alto nível, aqui percebemos que, hoje, o músico encontra-se em um outro patamar, pois a técnica apresentada por ele neste trabalho, beira a perfeição. Só que apenas a técnica não dá sustentação à nada. E o guitarrista sabendo disso, deixa a MÚSICA sempre falar mais alto,  deixando com que o feeling e  a entrega às composições sejam a força motriz do seu trabalho.

                  Na gravação do trabalho, Wael se encarregou da guitarra e do baixo enquanto que a bateria ficou sob a responsabilidade de Emmanuel Pena. Nos vocais houve a participação de vários vocalistas, cujas vozes abrilhantaram ainda mais esse ótimo trabalho. O álbum foi produzido pelo próprio Wael e co-produzido por Marcos Saraiva, tendo na produção executiva o guitarrista em companhia de Sandro Santarem. Todas as faixas foram compostas por Wael, assim como todos os arranjos e orquestrações. Gravado em belém/PA, no Legacy Studio, o CD foi mixado e masterizado por Brendan Duffay. A capa e a arte gráfica são mais uma do mestre Gustavo Sazes, que já havia trabalhado com o guitarrista no EP. Dito isso, é preciso dizer que não satisfeito em nos entregar 07 faixas excepcionai, o lançamento traz também o EP de estréia do músico, numa versão 2016, além de um DVD com todas as faixas, em vídeos animados. resumindo, um lançamento que vale cada centavo investido!

                       O CD I abre com a faixa Scourge of Humanity, divulgada antes do lançamento. Pesada, muito bem trabalhada, com  a presença de vocais guturais (o vocalista convidado aqui é Bruno Dourado e o baixista aqui foi o músico Marcos Saraiva), a composição mostra a faceta mais agressiva do guitarrista. Dona de um solo que mostra  a categoria de Wael, ao incorporar elementos que vão do clássico ao fusion, passando pelo jazz, a faixa sintetiza o bom gosto dos arranjos. Thorns of Joy também se mostra agressiva e pesada, bem próxima da sonoridade do metal atual, mas que foge do lugar comum. Os vocais adentram ainda mais o mundo da brutalidade (vocal á cargo de Leon Penna), o que projeta ainda mais o lado ríspido da composição. A faixa título é um primor de classe e bom gosto. Rica em detalhes,  a composição mostra toda a versatilidade do guitarrista. Cheia de variações, a começar pelos vocais (Eduardo Lobo, Mira Said e Luiz Klaud alternam as vozes - em determinados momentos, jurei que o mestre David DeFeis havia participado da interpretação), a faixa passeia com desenvoltura pelos mais variados estilos, indo até momentos da música árabe. Complexa, mas ao mesmo tempo fácil de ouvir, Sand Crusader cria no ouvinte  a sensação de viajar com a música, algo raro hoje em dia. 

                      The Awakening I é uma faixa instrumental. Mas se você pensa que é mais uma daquelas faixas auto indulgentes, tão comuns á certos tipos de guitarristas, está completamente enganado. Preste atenção nas linhas de baixo (executadas por Gleyson Souza) que você verá a música novamente fala mais alto. Bem pesada, além do trabalho preciso, a bateria também mostra toda técnica de Emmanuel Penna, que não economiza em viradas certeira durante a  execução da composição. The Awakening II já possui um clima mais introspectivo, até mesmo mais suave, onde a melodia ganha mais espaço, deixando o peso, mesmo que momentaneamente de lado. O que logo em seguida, fica pra trás, pois os riffs ganham intensidade ao longo da faixa. Power To Believe é outra faixa grandiosa. Particularmente, a composição tem uma gama enorme de variações, e conta com a participação de Marcelo Shiozaki, Victória Petra, Ana Rosa, Arlen Monteiro, André Gaby e Rabih El Banna. O encerramento vem com Mira, instrumental, carregada de sentimento e tem como destaue o solo criado por Wael, onde suas influências afloram de forma contumaz, expondo toda sua categoria.

                       O CD II, já citado anteriormente, é a versão 2016 do do EP lançado pelo guitarrista em 2013, com uma pegada mais atual (o que apenas deixou as composições ainda mais especiais), enquanto o DVD traz vídeos animados de todas as faixas presentes neste estupendo trabalho. Ainda temos 03 Guitar Play Through Videos para as faixas Gengis Khan, Salah El Dine e Power To Believe.

                    Hoje, a banda que acompanha Wael é formada pelo vocalista Eduardo Lobo, pleo baixista Gleyson Souza e pelo baterista Tiago Belém e leva o nome do álbum. Prova, mais uma vez que, além da técnica apurada e qualidade acima da média, o guitarrista dá mostra de humildade. Algo que muitos guitarristas (bem, não apenas guitarristas...) do metal nacional deveriam ter... SAND CRUSADER é um trabalho que se mostra atemporal. Daqui há 10, 20, 30 anos ouviremos e ainda nos surpreenderemos com a riqueza de detalhes presentes nele. Candidatíssimo á melhor álbum de 2017.





                Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário