Seguidores

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

DYING SUFFOCATION - WHEN I DIE (EP) (2015)



                   A banda paranaense DYING SUFFOCATION foi formada em 2014 e em 2015, lançou seu EP de estréia. Intitulado WHEN I DIE, o trabalho apresenta 4 faixas que deixam bem clara  a proposta musical do grupo: fazer um Doom Metal com uma forte influência do Death Metal. Com guitarras muito pesadas, o quinteto mostra técnica e qualidade, deixando uma excelente impressão e criando uma excelente expectativa para um trabalho completo.

                  Claudio Daniel (vocal) Alex Habigzang (guitarra), Fabio Conterno (guitarra), André Kichel (baixo) e Jorge Kichel (bateria) (formação que gravou o trabalho) capricharam em composições arrastadas, com muito peso e certa morbidez que se aliam à doses pequenas, mas importantes de death metal, principalmente no vocal. A produção, que ficou sob a responsabilidade da própria banda e Júlio César deixou tudo no lugar, enquanto a mixagem e masterização feita pelo Guitarrista Alexandre em parceria com Edi Bugança, soube valorizar bem as características do grupo. A arte do EP também merece destaque, seja pela capa, obra de Marcelo Vasco (Slayer, Distraught, entre outros), seja pela embalagem digipack, o que, para uma banda independente, mostra respeito e prova que ser underground não significa falta de capricho.

                 The Angels abre o EP com muito peso (algo que se mostra durante toda a execução do trabalho), e possui um clima denso e sombrio. Muito disso é cortesia do vocal, que deixa tudo mais macabro. Já a faixa título, deixa á mostra o lado mais death metal do grupo, pois os riffs mesmo que possuam aquela atmosfera doom, transparecem uma agressividade maior. Além disso, baixo e bateria trabalham em perfeita sintonia, o que acaba por ser mais um ponto de destaque. In Search of Salvation inicia com um riff que nos remete ao mestre Tony Iommi (não precisa dizer mais nada, não é mesmo?), mas depois ganha ares mais extremos, deixando tudo mais extremo. A última faixa Rivers of Blood, é a mais arrastada de todas. Todas as faixas são longas, o que se torna, um pouco cansativo pra quem não conhece o estilo. Mas o grupo tem categoria e tem condições de angariar fãs de outras vertentes.

                 Em sua estréia, o DYING SUFFOCATION garante aos apreciadores de Doom Metal, excelentes composições e muita garra. WHEN I DIE peca apenas por ter apenas 4 faixas. Mas isso tem um lado positivo pois criou em todos que ouviram e ouvirão o trabalho, a expectativa de um excelente full lenght que virá logo mais.





             
               
                   Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário