Seguidores

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

DARK SLUMBER - DEAD INSIDE


                  Black Metal com um forte acento Dark. Ou Dark Metal com uma pegada Black. A denominação fica a seu critério. O que não pode é deixar de se conferir esse grande trabalho! A banda carioca DARK SLUMBER chega ao seu primeiro cd, intitulado DEAD INSIDE praticando um black metal soturno e pesado, nos remetendo a nomes como o Rotting Christ, mas com identidade. Músicas densas, pesadas e muito bem estruturadas é o que encontramos, e analisando tratar-se de um trabalho de estréia, pode-se dizer que o grupo tem muito futuro pela frente.

                  DEAD INSIDE foi gravado entre 2012 e 2013 e a produção ficou boa, pois manteve o clima carregado e sombrio das composições sem esquecer do peso e da sujeira, uma das principais características do estilo. Além disso o trabalho foi gravado e mixado no LM Studio em Volta Redonda (RJ) A masterização foi dividida entre o Morbid Mastering (Arizona/EUA) e o Sun Room Audio (Nova Iorque/EUA). A banda é composta por Guilherme Corvo (guitarra e vocal), Sandro Leite (guitarra), Heyder Fonseca (baixo) e Jorge Zamluti (bateria) e mostra nas sete faixas que compõem o trabalho que tem bala na agulha para se firmar com convicção neste difícil cenário da música extrema nacional.

                 A introdução Reverberating Emptiness dá início ao trabalho, com um clima denso, sombrio, carregado por teclados bastante soturnos, criando um algo bastante "pesado" para o que vem a seguir. Sorrowful Winter Breeze tem passagens muito bem elaboradas, com arranjos criados de forma correta, encaixando-se no clima pesado da música. As guitarras de Guilherme Corvo e Sandro Leite estão com uma timbragem correta, sujas, porém audíveis. Como todo bom black metal deve ser. Um andamento mais cadenciado, algo comum durante a execução do trabalho, mostra uma variedade, pois os solos tem uma certa veia melódica, o que entrega a versatilidade da banda. Vomiting Upon the Cross possui uma variedade no andamento, alternando passagens mais lentas, arrastadas e momentos mais rápidos (mas sem exageros), deixando o baixo e a bateria encarregados da responsabilidade de manter o peso e a densidade da música do grupo intactos. 

                  A bateria veloz e riffs tipicamente black metal ditam o ritmo de Dying Inside. A agressividade das guitarras e o vocal cheio de fúria de Guilherme deixam o clima pesado. Na metade da música, o andamento se torna lento, arrastado, mas no final, volta  ao black metal em sua forma mais recorrente. Dark Slumber traz riffs mórbidos mas mesmo assim, consegue imprimir uma rispidez ao som da banda de forma correta. Vocais limpos em determinados momentos dão um clima diferente a música. Bateria e baixo são os destaques de Lucifer. Bumbos rápidos, muito bem inseridos (sem sorem forçados), guitarras que carregam riffs  e solos que se confrontam em momentos agressivos, mostrando a boa técnica dos músicos. All The Lights Fade Away encerra o trabalho. Com um início suave e até mesmo simples, a faixa vai ganhando intensidade, principalmente pelo vocal. As guitarras , com peso e uma pegada bastante suja e agressiva, fazem a diferença novamente.

                 O DARK SLUMBER estréia em seu primeiro trabalho muito bem. DEAD INSIDE é um álbum que pode agradar á todos que curtem o black metal ( e até mesmos outros estilos, por que não?), sem se prender á rótulos e radicalismos. Os cimas pesados e densos, as guitarras sujas, agressivas e ao mesmo tempo bem estruturadas e a cozinha que dá uma base forte ao som bem característico do grupo, fazem do DARK SLUMBER mais um bom nome na cena do metal extremo brasileiro.



Sergiomar Menezes

Um comentário:

  1. Grande review, parabéns!! Som muito obscuro esse dead inside do Dark Slumber, já tenho meu cd!!

    ResponderExcluir